Saint Germain – 20 anos de Tourist

Esta edição da Revista de Música pretende homenagear Saint Germain. Mais concretamente o seu álbum Tourist, que celebrou 20 anos no passado dia 18 de abril. Mas quem é o obreiro que se esconde atrás desta obra-prima?

Nas sombras de Saint Germain está o produtor francês Ludovic Navarre. Segundo a biografia da All Music, Navarre começou a gravar no início dos anos 90 usando vários pseudónimos (Subsystem, Modus Vivendi, Deepside). Numa mistura arrojada de jazz e house, Saint Germain estreou o seu primeiro álbum em 1994 através da editora de Laurent Garnier, a F Communications. Junto com Boulevard, davam-se os primeiros passos de uma nova corrente de música francesa intitulada “La French House“, onde despontavam nomes como Laurent Garnier, Cassius, Daft Punk ou Dimitri From Paris. Bons tempos, seguramente.

Tourist arranca com a sua arma mais potente, Rose Rouge. Não sei se propositadamente, pois podia correr o risco de “abafar” o resto das músicas. Não é o caso. Apesar desta primeira faixa ser um hino jazz-house ainda nos dias de hoje, há outros motivos por que devemos desfrutar do álbum até final. Curiosamente, passa uma mensagem interessante para os dias de hoje: “I want you to get together, put you hands together one time”.

Para além de Rose Rouge, vou escolher mais duas faixas com que mais me identifico. A primeira é “So Flute“. Um piano electrizante, perfeitamente encaixado numa versão dub. É daqueles temas que inexplicavelmente transmite uma “boa vibe”. Que automaticamente começamos a bater o pé ou a abanar a cabeça. Ou até ambos. A segunda é “Ponts des Arts“. Não muito citada pelos críticos, ganha a minha preferência pela sua influência house, talvez mais dançável.

Tourist é isto e muito mais. Um álbum que vendeu mais de 3 milhões de cópias em todo o mundo. Acredito que para alguns peque por ser algo repetitivo. Respondo que dependerá da circunstância. Tourist é isso mesmo. Uma viagem que pode ir até ao mais requintado club de Paris, até a um clássico sunset na praia, ou mesmo na sala de espera do dentista. Mas dos bons.

Não se pense que Tourist é um álbum básico. Navarre vai buscar vários elementos a vários géneros musicais para além do jazz e do house. A música com origem no Mali é disso exemplo. Diria até que Saint Germain “seria um homem com dupla, ou tripla, nacionalidade. Talvez por isso, Ludovic Navarre tenha estado desaparecido da cena musical durante tantos anos.

Agora que já conhecem um pouco mais sobre esta obra-prima, o melhor é mesmo escutar com atenção. Playlist do Spotify abaixo.

Tracklist: Rose Rouge / Montego Bay Spleen / So Flute / Land of… / Latin Note / Sure Thing / Pont Des Arts / La Goutte D’or / What You Think About…

Músicos: Ludovic Navarre (Conductor) / Pascal Ohse (trumpet) / Edouard Labor (Saxophone-Flute) / Alexandre Destrez (keyboards) / Idrissa Diop (Talkin’ Drum) / Carneiro (Percussions) / Claudio (Cacao) De Qeiroz (Baryton) / Ernest Ranglin (guitarist)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s